by Giselle Beiguelman

Cenários entrópicos | Entropic scenarios

Paisagens Ruidosas (2013-2016) (English follows) Esta série é um convite para enfrentar paisagens urbanas, partindo da desordem como paradigma essencial para sua fruição. O projeto investiga estéticas do ruído e da obsolescência, em particular o glitch, e os modos pelos quais dialogam com espaços fragmentados e as experiências que temos das ruínas urbanas. Todo o processo, da captura à edição...

Incomunicabilidades contemporâneas

Inédita, a série faz referência ao filme homônimo do cineasta Michelangelo Antonioni, uma das principais referências estéticas de Giselle Beiguelman. Capturada num depósito municipal de São Paulo, a fotografia original, feita com uma câmera Nikon D7000, sofreu vários tipos de intervenções quando a artista a submeteu a um programa de corrupção de vídeo para imagens de baixa resolução. A...

Digital Ruins

The book Uncertain Spaces: Virtual Configurations in Contemporary Art and Museums is now on-line. Amazing work by Helena Barranha and Suzana Martins. My contribution to this book is the chapter: Corrupted Memories: The Aesthetics Of Digital Ruins And The Museum Of The Unfinished This paper addresses the aesthetics of memory emerging on the horizon of digital culture, discussing the notions of ruin, conservation...

Futuros Possíveis: Arte, Museus e Arquivos Digitais

Sinopse  O livro discute estratégias e metodologias para o armazenamento e preservação de arte digital e processos de digitalização de acervos, incluindo também estudos sobre novas formas de organização e disponibilização das informações em sistemas de visualização de dados. Além disso, Futuros Possíveis apresenta estudos de caso e reflexões sobre o surgimento da estética do banco de dados e o...

Futuros Possíveis – Apresentação

Futuros possíveis discute temáticas emergentes no campo da preservação do patrimônio artístico e cultural, reunindo especialistas de renome internacional da área de conservação de arte digital e digitalização de acervos. A crescente produção artística realizada com meios digitais e eletrônicos demanda a elaboração de procedimentos específicos para a preservação da memória de bens culturais que,...

Presente mais que absoluto

Detalhe de Photography in Abundance, de Erik Kessels (2011). Ele baixou e imprimiu todas as fotos publicadas no Flickr em um dia. Diante da avalanche midiática que produzimos cotidianamente no Facebook e em outras redes sociais similares, como escolher o que será guardado? As redes não têm tempo. Nelas prevalece um regime de urgência permanente. A publicação mais recente é, supostamente, mais relevante que...

Um museu de grandes novidades (velhas)

  A cultura pop celebriza o passado na música, na moda, no design, na arquitetura e no entretenimento, transformando o momento em monumento ao presente que não foi. Restaura-se tudo, de GIFs animados – tecnologia de animação da primeira época da internet – a filmes clássicos e blockbusters, a estéticas do VHS e games populares dos anos 1980, como o Atari. Entre lixos e obras-primas, fica a...

Memórias do Futuro de Uma Arte sem Passado

A net art foi desde sempre um problema no espaço, por não se enquadrar nas tradições expositivas. Tornou-se um problema para o tempo, desaparecendo com os sites que linkava, os servidores que a abrigaram e as tecnologias que consolidaram a obra A história da net art é recente, mas cheia de revezes. Eterna prima pobre da artemídia, pela acessibilidade intrínseca às redes que nunca caiu bem no crivo...