O Art Supermarket

Art Supermarket aborda a transformação do artista em commodity, trabalhando exclusivamente com produtos que tem nomes de artistas. Em uma banca de camelô especialmente projetada para ocupar o espaço urbano e um site integrado às redes sociais, reúne brinquedos, como a Barbie Andy Warhol, mobiliário, como o aparador Monet, utilitários, como as taças Frida Kahlo, e objetos pessoais, como bolsas Ticiano, além de prospectos e imagens de divulgação de lançamentos mobiliários e automobilísticos.

Aproveitando sua inserção no Largo da Batata o projeto explora questões relacionadas à ocupação das praças pelo comércio ambulante. Do ponto de vista arquitetônico, remete à discussão das arquiteturas temporárias e reversíveis, inspiradas nas tecnologias que são criadas nas ocupações informais. No campo do design, está relacionado às pesquisas de novos materiais (leves, recicláveis e de baixo custo). No website, o projeto dá acesso às lojas que comercializam os produtos expostos e também a conteúdos que não poderão estar no espaço físico, como carros "Picasso" e edifícios "Toulouse Lautrec".