Participei ontem da mesa sobre “Transmidiatização e Estilo de Vida” no 4o congresso da ABES (Associação Brasileira de Estudos Semióticos), com Raquel Zuanon, Lucia Santaella e Mario Carlón (UBA).

A tarde inteira foi dedicada a debates sobre transmídia e seus impactos nas formas de pensar e planejar produtos, campanhas e os meios em si. Carlos Scolari, foi responsável pela conferência de abertura dos trabalhos, com uma apresentação bastante interessante sobre as reconfigurações da televisão pela ecologia midiática atual.

Aproveitei a oportunidade para sistematizar a discussão sobre processos de criação de conteúdos transmidiáticos, que venho fazendo neste semestre com meus alunos, atentando para uma arqueologia de procedimentos e um mapeamento conceitual do tema, frisando os vínculos entre as estéticas transmídia e a cultura de rede.