RESUMO
Este artigo discute a conservação de obras de net art. Descreve a situação de overdose de produção documental fomentada pelas redes sociais e o seu impacto nas formas tradicionais de armazenamento e na cultura da memória contemporânea. Situa a especificidade da net art no seu atrelamento a ambientes de fluxo,
dinâmicos e sistêmicos, sobre os quais não se tem controle, implicando novos parâmetros de conservação e investiga as estéticas particulares a esse contexto. Problematiza as instâncias políticas que transformaram a Internet em uma ambiente de vigilância, impendido o acesso a sites mais antigos, evidenciando como afetam a preservação da história da arte on-line. Ao final, apresenta como estamos trabalhando com o MAC-USP, no desenvolvimento de uma
metodologia de trabalho para lidar com obras de net art no universo museológico. A discus são é feita a partir do caso específico do site The Book after the Book (O Livro depois do livro) (1999), que demandou uma série de atualizações e reprogramação de códigos. Com base nessa experiência, sugere-se uma reflexão acerca dos museus de net art como museus do inacabado, do não reparado e do não recuperado. Essa estratégia pode permitir lidar com as
irreversíveis perdas, sem contar com um pro cesso iminente de desaparecimento.
Artigo completo aqui