FAU em obras

Reforma da FAUUSP. Setembro 2014. Foto: Giselle Beiguelman

O modernismo não sabe envelhecer. O tempo lhe faz mal. Transforma sua arquitetura em escombros. Restaurar um edifício modernista parece impossível. Na sua essencial negação do passado e utopia de um futuro em aberto permanente, a arquitetura modernista parece só poder ser recuperada se for reconstruída de ponta a ponta. Como duplo, como fake ou como kitsch. Tamanha é sua aversão à história que nada ali parece sustentar-se perante à implacabilidade da fluidez do tempo e da memória. Comecei a registrar o fim das obras da reforma da FAUUSP para testar algumas destas hipóteses. O início do ensaio fotográfico está aqui.