Odiolândia é o projeto que realizei a convite de Paulo Herkenhoff e Leno Veras para a exposição São Paulo não é uma cidade: as invenções do centro, em cartaz no Sesc 24 de maio de 19 de agosto a 28 de janeiro de 2018.

É um vídeo sem imagens que reúne comentários publicados nas redes sociais sobre as ações da Prefeitura de São Paulo e do Governo do Estado na Cracolândia. O título do trabalho nasceu do teor das mensagens postadas pelo público.

Majoritariamente favoráveis ao tratamento policial da questão e ao uso da força e armas de fogo contra os dependentes, elas expressam também o desejo de ver as mesmas políticas aplicadas a outros grupos. Nordestinos, sem terra e gays são alguns dos seus alvos.

Os comentários são apresentados na sua forma bruta, sem correções gramaticais ou adequações de estilo. A única interferência que faço é retirar o conteúdo eleitoral das mensagens.

No fluxo dos textos despidos das imagens, desvela-se um tecido social contaminado pela cultura do ódio. A Cracolândia se expande, como se fosse uma lente através da qual podemos ler a cidade. Transforma-se no ovo da serpente… Através da fina membrana, pode-se ver o réptil inteiramente formado.

Ficha técnica
Projeto e vídeo
Giselle Beiguelman
Edição de texto
Maya Messina
Sound Design do espaço expositivo
OCT+ sound design

Agradecimentos:

Lucas Gervilla
Luis Felipe Abbud

Para Paula Beiguelman (em memória)

Mais sobre Odiolândia

São Paulo não é uma cidade: as invenções do centro.